Menino de 12 anos de idade se arrepende de ter “mudado de sexo” após dois anos da cirurgia

Compartilhe com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Patrick Mitchell, um menino australiano de 12 anos de idade e que sofria de “distúrbios de gênero”, começou o processo de “mudança de sexo” com a ajuda de médicos e de sua própria mãe. Entretanto, dois anos após a cirurgia que o transformou em “mulher”, o garoto contou à mãe, arrependido, que se sentia ainda no sexo masculino, desde então está no doloroso processo de voltar ao “sexo originário” — processo que inclui tratamentos cirúrgicos.

“Quando ele era mais jovem, ele se vestia roupa feminina. E a partir de um momento ele me disse se poderia ser levado ao médico para virar uma menina”, disse a mãe de Mitchell.

O menino então passou a tomar hormônios de estrogênio, o que lhe fez desenvolver seios e crescer-lhe o cabelo.

Patrick disse ao programa 60 minutes como surgiu o desejo de querer ser uma mulher: “Você tem o desejo de que pudesse mudar tudo sobre você; você vê qualquer menina e diz: ‘Eu mataria para ser assim também.’”

Contudo, dois anos após a cirurgia Patrick Mitchell sente-se como se pertencesse ao seu sexo de nascimento.

A mãe de Patrick começou a notar que ele já não tinha mais a antiga confusão a respeito de sua identidade sexual.

“Ele olhava-me nos olhos e dizia: ‘eu não sei mais se sou uma menina mesmo.’”

O garoto já parou de tomar os hormônios e marcou as cirurgias para retirar as mamas femininas.

Assista a reportagem:

Fonte: http://www.dailywire.com/news/20806/12-year-old-boy-transitions-female-then-happens-amanda-prestigiacomo#

20 Comments on "Menino de 12 anos de idade se arrepende de ter “mudado de sexo” após dois anos da cirurgia"

  1. Nenhuma mudança será perfeita no corpo que Deus formou, no ventre da mãe.

  2. Já parou de tomar os hormônios, vai fazer cirurgia para retirar os seios, mas não tem mais pênis. Que irresponsabilidade!

  3. Gláucio Santos dos Reis | 12 de setembro de 2017 at 23:45 | Responder

    Que porcaria de texto, com informações mal traduzidas e título sensacionalista! Para começar, o menino tem hoje 14 anos, não 12. E ele não fez cirurgia alguma para mudar de sexo, com ou sem aspas. Apenas vai ter que fazer agora para tirar os seios, ganhos com o uso de hormônios. Por fim, o vídeo indicado como “reportagem” é só uma chamada para o programa. Vão aprender a ler e a fazer jornalismo!

  4. josafa Bezerra Duarte | 13 de setembro de 2017 at 00:26 | Responder

    lamentavel os pais nao terem discernimento espiritual para tomarem decisoes que vao preservar o futuro feliz de seus filhos e ensinarem a amar ao Criador e sua Palavra que sendo pois justificados pela fe temos pais com Deus.So ha um caminho para a verdadeira felicidade e toda as familias se voltarempara Deus.Deus e amor mas tambem é justiça.

  5. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  6. Luis Fernando Lima Corrêa | 13 de setembro de 2017 at 05:23 | Responder

    Essa esquerda é uma desgraça mesmo hein viram o que vocês fizeram a essa pobre criança?

  7. Ainda bem que não retiraram seu pênis

  8. Gessé Antônio de Souza | 13 de setembro de 2017 at 16:59 | Responder

    Prudência, prudência em questões que envolvem a identidade de cada ser humano. A identidade sexual é uma questão complexa e nem a ciência esclareceu isso até hoje.
    Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia (William Shakespeare). Podemos afirmar que há um relativismo muito intenso na sociedade ocidental, denominado de sociedade líquida(Bauman), que favorece a liquefação da identidade no processo de formação da personalidade humana. Três dimensões se imbricam na formação humana: a biológica, a psicológica e a espiritual (crenças – valores – conceitos – atitudes – que produzem comportamentos huanos). Penso que uma criança e um adolescente precisam da mediação do meio social (pais, escola, religião, sociedade, segurança institucional…) para que tenham garantido um tempo para que possam organizar seu mundo intrapsíquico. Há hoje um claro abandono da mediação, tão necessária à construção da identidade e da aceitação dessa identidade, que faz com que o indivíduo se reconheça e possa traçar o seu itinerário na vida. Por isso, a busca do radicalismo político e religioso está cada vez mais intenso.

  9. Gessé Antônio de Souza | 13 de setembro de 2017 at 17:00 | Responder

    Prudência, prudência em questões que envolvem a identidade de cada ser humano. A identidade sexual é uma questão complexa e nem a ciência esclareceu isso até hoje.
    Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia (William Shakespeare). Podemos afirmar que há um relativismo muito intenso na sociedade ocidental, denominado de sociedade líquida(Bauman), que favorece a liquefação da identidade no processo de formação da personalidade humana. Três dimensões se imbricam na formação humana: a biológica, a psicológica e a espiritual (crenças – valores – conceitos – atitudes – que produzem comportamentos humanos). Penso que uma criança e um adolescente precisam da mediação do meio social (pais, escola, religião, sociedade, segurança institucional…) para que tenham garantido um tempo para que possam organizar seu mundo intrapsíquico. Há hoje um claro abandono da mediação, tão necessária à construção da identidade e da aceitação dessa identidade, que faz com que o indivíduo se reconheça e possa traçar o seu itinerário na vida. Por isso, a busca do radicalismo político e religioso está cada vez mais intenso.

  10. A notícia é falsa! Basta assistir ao programa para saber que ele NÃO FEZ CIRURGIA – algo que só é permitido a maiores de 18 anos pela própria comunidade médica -, mas fez ingestão de hormônios indevidamente (uma vez que a recomendação é que crianças usem BLOQUEADORES DE PUBERDADE até os 16 e só então, tendo a certeza de que são realmente trans, passem a tomar os hormônios).

  11. Perdão, mas com a leitura da fonte original citada ao final do artigo, eu gostaria de saber o que vc entende por ” cirurgia que o transformou em mulher”, pois no artigo original diz que eles fez apenas tratamento hormonal. Qual a fonte q cita cirurgia?

  12. devia ter congelado o “bilau” pra recolocação no caso de arrependimento…. kkkk!!!

  13. Esta.mãe teve merda na cabeça. O filho ainda não tinha se tornado um adolescente. Isto ele deveria decidir quando já soubesse o que realmente queria. Eu adorava jogar bola, detestava boneca e nem assim quis mudar de sexo.
    O garoto é normal. Mas a mãe tem problema.

  14. Bem, até entendo os pais consentiram um tratamento pra isso. Porém jamais permitiria a realização de um procedimento cirúrgico. Pois q a pessoa pode se arrepender. E o trauma ser maior.
    Recentemente num país vizinho q não lembro o nome. Um casa de trans tiveram um filho deles mesmos. E estavam felizes e realizados como família. E só foi possível porque eles não haviam realizado nenhuma cirurgia. Mesmo porque no país deles é proibido.

  15. Com 12 anos não é permitido, POR LEI, em NENHUM paíz fazer a cirurgia. Desinformação como essa só serve pra marginalizar mais ainda as pessoas trans.

  16. As vezes mães dão cada palpite errado, pqp!!!

  17. NAO USE a INTERNET como uma ARMA a favor do fascismo , a favor da mentira e da má informação a VÍTIMA pode ser você! E muita falta de vergonha reproduzir coisas falsas e tendenciosas!

Deixe seu comentário

Seu e-amil não será publicado.


*