Homem Falsamente Acusado de Estupro é Torturado e Queimado Vivo

Compartilhe com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Foi concluído e enviado à 3ª Vara Criminal da Justiça, em Rio Largo, o inquérito que investiga a morte de um homem que foi torturado, arrastado em um carro e queimado vivo em um canavial no Conjunto Jarbas Oiticica, no dia 15 deste mês.

Ele foi apontado por populares como autor de um estupro, porém o delegado Rubens Martins, responsável pela investigação, disse que essa versão não se confirmou durante o inquérito. A falta de provas de que o homem tenha cometido algum crime de abuso sexual já havia sido citada pelo coordenador da Delegacia de Homicídios, Fábio Costa.

“Não há indícios de que ele [a vítima] tenha abusado de ninguém. Nenhuma das supostas vítimas procurou a delegacia para relatar o crime. É cada vez mais comum essa barbárie, esse ‘revanchismo’ por parte da população. O que se sabe é que esse homem, supostamente, tinha uma debilidade mental e que eventualmente ficava sem roupa”, afirmou Rubens Martins.

De acordo com o delegado, três homens foram indiciados e a polícia investiga a participação de outras três pessoas, um deles preso acusado de outro crime.

Giovani Paes da Silva, proprietário do carro usado no crime, um Volkswagen Gol de cor cinza e placas MVG-5500, e os mototaxistas Robert Jonathas da Silva Feliz e José Francisco do Nascimento da Silva, foram presos em flagrante, por militares do 8º Batalhão da Polícia Militar e respondem pelo crime (foto acima).

A polícia agora investiga a participação de Jaciel de Andrade Silva. Ele é uma das pessoas que aparece nas filmagens do crime, divulgadas em redes sociais. Ele está preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva.

Jaciel é acusado de participar da morte de Eudes Alves de Oliveira – na casa da vítima, na frente da esposa e do filho, também em Rio Largo. Outras duas pessoas também são suspeitas de participação no crime, mas elas não tiveram os nomes divulgados pela polícia.

O TNH1 buscou, junto à assessoria de comunicação da Perícia Oficial, informações sobre a identidade da vítima, mas foi informado que a identificação será feita através de exame de DNA, e que ainda não há previsão para o resultado.

Outros Crimes

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) apresentou ainda, em entrevista coletiva realizada na manhã desta terça-feira (29), em Maceió, outras 11 pessoas acusadas de homicídios na Região Metropolitana de Maceió.

Jonatas dos Santos da Silva e Thiago Fernando Fonseca Lima, que é professor de um cursinho em Maceió, Hugo Marcel Marx Félix, Valmir Vieira dos Santos e Bruno Ricardo Santos Amorim, estes três últimos estudantes universitários, foram presos acusados de participar da morte de João Victor Dantas Vasconcelos, no dia 27 de março, às 21h30, na Avenida Alípio Barbosa, no Pontal da Barra, em Maceió.

Os outros acusados são: Dozinete Amâncio da Silva, preso em Rio Largo pelo assassinato de Vagner Douglas da Silva Gomes, no dia 6 de outubro de 2016; Luis Felipe da Silva de Omena Almeida, preso em Rio Largo pelo assassinato de Edvanio Esídio da Silva, no dia 22 de abril de 2014; e Charles Gomes Marinho, vulgo “Boi Branco”, preso em Rio Largo por um homicídio cometido em São Luís do Quitunde.

Leia Também: Projeto pode tornar “Falsas Acusações DOLOSAS de Estupro” em crime HEDIONDO

 

Fonte:TNH1

Leave a comment

Your email address will not be published.


*