Madrid proíbe homens de sentarem de pernas abertas em transportes públicos por causa de campanha feminista.

Madrid proíbe homens de sentarem de pernas abertas em transportes públicos por causa de campanha feminista.

Compartilhe com seus amigos
  • 1.3K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1.3K
    Shares

A cidade proibiu “manspreading” em seus trens e ônibus.
Per The Local, Madrid acabou de anunciar que proibiu o “manspreading” (quando um homem senta de pernas abertas), em todos os seus serviços de transporte público. Especificamente, a Empresa Municipal de Transportes da cidade (EMT) estará implementando nova sinalização em todos os trens e ônibus, o que ditará postura correta das pessoas em transportes públicos.


“O novo ícone de informação indica a proibição de assumir uma posição de assento que incomoda outras pessoas”, uma declaração emitida pela EMT lê. “Lembramos aos usuários de transporte que mantenham a responsabilidade cívica e respeitem o espaço pessoal de todos a bordo”.
O letreiro apresenta um homem espalhando suas pernas para proporções graciosamente grandes em um banco de transporte público, com um grande “X” vermelho e “respeite o espaço de outros “que o acompanha. Atualmente, ainda não está claro se os empresários que não respeitam a lei receberão uma multa se continuarem sentando à vontade.

Para as feministas em Madri, esta notícia tem sido o ponto culminante de muitos meses de petição e protesto contra os manspreaders. Mujeres en Lucha lançou uma campanha de petição viral intitulada #MadridSinManspreading (#MadridWithoutManspreading), que foi enviada para a prefeita de Madri, Manuela Carmena, bem como a presidente regional de Madri, Cristina Cifuentes. “Manspreading é a prática de certos homens sentados com as pernas abertas nos transportes públicos, ocupando o espaço de outras pessoas. Não é algo que ocorre esporadicamente, se você prestar atenção, verá que é uma prática muito comum “, lê a petição feminista.

Nova York foi uma das primeiras grandes cidades a lutar abertamente contra o manspreading no transporte público, quando, no final de 2014, a campanha “Dude, por favor, pare o manspreading” foi criada pela MTA. Como resultado da campanha, os oficiais do NYPD realmente prenderam homens por sentar de forma que feministas não aprovam no metrô; As acusações foram posteriormente retiradas. As Regras de Conduta da MTA proíbem que os passageiros ocupem mais de um assento ao fazê-lo “interferiria ou tenderia a interferir com o funcionamento do sistema de trânsito da Autoridade ou o conforto de outros passageiros”.
Agora, graças às feministas, o governo pode tirar o seu dinheiro por não se sentar na postura correta, sempre rimos dos absurdos de regimes autoritários, como a Arábia Saudita proibir selfies com gatos, mas o quão longe estamos nós disso?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *