As faces do Feminismo e o culto que engana

Compartilhe com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As faces do feminismo e o culto que engana o mundo. Este artigo é baseado em um documento em inglês que foi resultante de um workshop sobre os valores da família tradicional, ocorrido em 1987, no porão da Igreja de Santo Antônio, em Thuder bay, Ontário, Canadá. Este seminário fazia parte do cronograma das festividades da Festa Italiana em Thunder Bay no ano de 1987 e também no artigo de César J. B. Squitti sobre O Culto Feminista.
Curiosamente a Igreja foi danificada pelo fogo, Fogo de Santo Antônio e demolida em 1990.
Autora do artigo: Mariah Jane. 

Homem X Mulher

Este documento levanta questões cruciais a respeito do feminismo, como as várias faces do mesmo, e traz a tona questões reveladoras sobre o mal que o feminismo faz à família e às crianças. Tenta responder como uma verdade pode enganar uma nação para produzir uma mentira. Concluiu ainda que existe um culto ao feminismo, um culto que enganou o mundo e invadiu as Américas, como um vírus que invade um computador corrompendo a lógica do sistema causando sérios danos ao seu funcionamento, criando uma cultura à qual o Papa chamou de cultura de morte. Este estudo também levou à descoberta de diversas dimensões negativas sobre a verdade.
Esta cultura, baseada em meias verdades, é capaz de corromper a lógica e as estatísticas para promover a divisão da sociedade utilizando-se de uma falsa lógica.
Este documento produz um inquérito sobre a lavagem cerebral, uma série de enganos durantes anos e a corrupção que faz parte do movimento feminista. Corrupção esta que polarizou os sexos separou-os da família e criou o caos dentro da unidade familiar tradicional. Tudo isto se utilizando de verdades enganosas, lógica de meias verdades e falsa lógica generalizada.
E, talvez, a maior manipulação da verdade, foi a corrupção de uma verdade: “somos todos iguais perante a lei”, para formar uma mentira: “somos todos iguais”.
O fato é que homens e mulheres devem ser iguais em obrigações e deveres, porém distintos em sua essência e condição. A corrupção da lógica simples, como era de se esperar, infiltrou-se nos diversos segmentos da sociedade como nos diversos setores do governo, igreja e movimentos sociais. Proliferam-se através dos sistemas educacionais e programas universitários. Um câncer filosófico corrupto que se espalhou por todo o mundo criando novas concepções individualistas de mundo.

A manipulação orquestrada pelo feminismo

Esta manipulação se efetiva por meio da contaminação de vários setores da sociedade, dentre eles: Os programas sociais, incluindo aqueles que cuidam de crianças com AIDS e os Centros e Instituições da mulher; toda a estrutura jurídica e o sistema judiciário, nos quais se enraizou toda uma falsa lógica; os programas sociais, incluindo-se aí os Estudos Sociais e os Estudos da Mulher e por fim teorias e termos que construiu uma teoria científica aleijada e uma literatura alienante e tendenciosa.
Esta manipulação do público dar-se  ainda por um sistema de propaganda que mostra a América do Norte como uma força política dedicada a promover os direitos da mulher, de maneira isolada, mesmo que as custa de toda a sociedade em geral e da família a ponto de se tornar uma verdadeira psicose.
De forma sutil, foi incutida nas mentes das pessoas uma ideologia antimacho que passou despercebida, porque foi disfarçada em discussões acerca de questões que envolvem a problemática feminina. Quando, em estudos e discussões sobre a mulher, se debatiam questões sobre o seu papel na sociedade e sua condição atual, havia uma manipulação destes debates colocando o homem com algoz da mulher, desta forma criando uma repulsa ao homem, gerando de forma inconsciente uma cultura anti-homem.
É de fundamental  importância entender que o feminismo foi ajudado e promovido por uma cultura altamente materialista, cujos valores não foram criados por seu valor intrínseco, mas por meio de técnicas manipuladoras de marketing. Um exemplo deste tipo de marketing são as propagandas de cigarros. Cigarros fazem mal a saúde, porém as propagandas sempre mostraram o ato de fumar como sendo uma atitude de pessoas liberadas. Porém o ato de fumar leva à morte, e hoje mulheres estão morrendo  mais de câncer do pulmão do que homens.
Uma investigação mais aprofundada sobre o feminismo, investigação estaque resultou numa classificação deste movimento em diversas subcategorias, forçou também a uma revisão sobre os conceitos filosóficos de verdade, meia-verdade e mentira. Primeiro conclui-se que há uma semelhança entre feminismo radical e determinado cultos religioso. Estas semelhanças incluem uma agenda anti-família, uma manipulação da verdade e até sacrifício humano como “um ritual oculto” como o aborto.
Há também um elemento preponderante que é o fato deste movimento ter como base algumas verdades.  Ou seja, surge a partir de uma reação negativa a certas experiências reais do cotidiano feminino.  Por exemplo, “minha mãe me falou da história de uma mulher que foi expulsa de casa pelo marido depois de ser espancada por ele, foi viver em um asilo”. Ora, não vamos ignorar o fato também de que muitos homens são vítimas da sociedade, de suas famílias e de seus empregos. Entretanto o feminismo desconsidera isto, e pega isoladamente um tipo de abuso e ignora todos os outros, polarizando a questão. Se há casos de homens que agridem companheiras, pode haver algo por trás deste homem que o faz agir de tal modo. Nos Estados Unidos, por exemplo, são notórios os casos de homens que sofrem as consequências da guerra do Vietnã, principalmente ex-combatentes, que ao retornarem ao país causaram sérios danos às pessoas tornando-se assassinos, franco atiradores e suicidas. Que eu lembre o mundo não deu tanta atenção ao fato. Todos os dias são computados dados sobre a violência doméstica colocandocomo culpado o machismo e o homem e a mulher como vitima. Mas e violência doméstica é apenas contra a mulher? E as crianças? E os homens?
Do meu ponto de vista violência é violência, não há violência mais ou menos importante que outra. Não há aquela que se aceita e outra não. Isto é pura hipocrisia. Dezenas de jovens são mortos todos os dias pelo tráfico, milhares de idosos são violentados em seus direitos todos os dias, centenas de crianças são agredidas todos os dias.
Porque só as mulheres merecem tanta atenção, uma vez são elas as maiores fomentadoras destas agressões domésticas?
A coisa está tão séria que colocaram no poder uma mulher cujo passado de terrorista e assassina não foi impedimento para assumir o maior cargo político do país… PRESIDENTE. Sequer foi citado seu passado em debates e entrevistas como se faz quando os candidatos são homens.
Outro fator que desmascara o feminismo é sua falsa lógica e sua filosofia capenga.  O feminismo encara como submissão e como algo negativo o fato de mulheres viverem confinadas em seu lar cuidando dos filhos e gerindo a família.
O sacrifício de alguns pais e de alguns maridos foi totalmente ignorado criando mais uma vez uma polarização dos temas que envolvem a questão sem nenhuma importância dada à família, criando pressupostos falsos e conclusões generalizadas. Mais uma vez, prevalece ai a lógica de meia-verdade, pois algumas observações são verdadeiras, mas não na sua totalidade porque se desconsiderou o fato de homens e mulheres serem explorados pelos poderes constituídos, pelo sistema.
O feminismo surge, então, como uma reação inicial a estas questões que desagradam às mulheres, porém, baseada em generalizações e em uma lógica polarizada: a lógica da polarização da vítima. É lógico que qualquer homem normal iria se sentir ultrajado se suas esposas, filhas e netas fossem tratadas inadequadamente. Mas a prova que este movimento não quer igualdade, normalidade e harmonia é que ao invés de procurar corrigir os problemas apontados por ele, optou pela polarização colocando o homem como o vilão da história, utilizando como ferramenta a lógica da manipulação seletiva de vitimização, promovendo uma agenda falaciosa de antimascuilinismo.
No decorrer da história deste movimento, teve lideranças como Gloria Steinem, uma mulher cujo histórico familiar não é nada bom.
Teve uma infância questionável, cercada por experiências familiares ruins com um histórico de doenças mentais.  A lógica do preto e branco, que é um sintoma comum da doença mental, é a característica principal do movimento feminista radical. Esta semelhança explica a origem e os objetivos de um dos mais poderosos destruidores movimentos da história da humanidade, depois do nazismo, e a polarização desse movimento no tocante às questões da família, da mulher, do homem e da criança, neste século.
O que se constatou com este estudo é fato:
A) A manipulação seletiva de violência ignorando todas as outras formas de abusos. Esta é a mais óbvia e evidente manipulação por este movimento, que ignora todas as diversas formas de abuso, inclusive a da manipulação passiva, esta praticada pela quase totalidade das mulheres em cima dos homens. Em seu trabalho “Games People Play”, o Dr. Eric Berne, demonstra que há diversas formas de abusos em que as pessoas deixam-se envolver e que são ignorados.

B) A manipulação seletiva de “vitimização” da mulher ignorando a vitimização semelhante  de alguns homens, crianças e até mesmo de algumas mulheres por outras mulheres.  A psicose desta manipulação é refletida na polarização de vitimização de um individuo com base no sexo, na falsa suposição de que isto afetou todos os indivíduos do mesmo sexo, normalmente mulheres,  e não todos os homens. Este é um erro lógico da filosofia que tem sido negligenciado. Ou seja, o fato de uma mulher ter tido uma experiência negativa com um determinado homem, não faz de toda mulher uma vítima nem tão pouco faz de todo homem um opressor.

Esta manipulação seletiva do masculino X feminino ignorou todas as outras formas de vitimização, inclusive a discriminação por classe social que foi completamente desconsiderada.
O que queremos deixar claro aqui é que mulheres não são seres divinos, não seres perfeitos, e que este movimento de mulheres tal qual se apresenta nos dias atuais de nada contribui para o bem comum nem para a humanidade.  Não há razão de existir tal movimento.
E que, segundo as palavras do próprio documento a que nos referimos no começo do artigo, é que homens e mulheres são seres ainda imperfeitos e que a melhor estratégia é fazer uma abordagem crítica destas questões, porém, que nenhum movimento pode ser considerado bom apenas por mérito do que há de positivo, mas é fundamental observar o negativo para podermos saná-los. É lamentável, que as gerações atuais tratem dos problemas de maneira isolada e unilateral, quando deveríamos perceber que estes problemas afetam a nós, nossos cônjuges, filhos e netos.
É preciso cuidado com casais sem filhos, sem nenhuma ligação com o futuro, e com pessoas com transtornos de personalidade. A maior fonte de sabedoria são os pais e avós, às vezes melhor do que determinados grupos seletos de intelectuais.
Entretanto, é importante esta observação a respeito do feminismo. Feminismo este  que assume a forma de um culto, um culto ao feminino, contra o macho, anti-mãe, anti-criança e anti-família. A promoção do aborto ignora totalmente o valor da vida, e aparentemente promove uma ação que poderia ser visto, em termos práticos, como um sacrifício humano. É um abuso infantil e a maior forma de violência contra a mulher que mostra de forma errada como um direito que assiste a ela. Da mesma forma, conceber uma criança sem a consulta de ambas as partes é uma irresponsabilidade, uma afronta aos direitos dos seres humanos é a condenação da civilização.

 

Camila Abdo Calvo – www.politicaedireito.org/br

About the Author

Camila Abdo
Jornalista (MTB - 0083932/SP; Associação Brasileira de Jornalista -ABJ- 2457). Escrevo para: -oretrogrado.com.br -www.libernews.com.br e o meu blog pessoal politicaedireito.org/br

Be the first to comment on "As faces do Feminismo e o culto que engana"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*